Como escrever
melhor

5 autores dão dicas de escrita com
base em seus processos criativos

São muitas as dificuldades
de se chegar em um bom texto.
Algumas aparecem antes mesmo
que se escreva a primeira letra.
Destravar o caminho do pensamento
ao papel é mais complicado
do que parece

Foto Unsplash

O Nexo conversou com cinco
autores e pediu que dessem dicas
com base nas suas experiências.
São recomendações que servem tanto
para situações corriqueiras quanto
para quem quer trabalhar com a escrita

Gif Tenor

Foto Reprodução

“Escreva sem parar, e só pare
pra editar depois que terminou
de contar uma história. Nunca
pare o fluxo durante a escrita
pra mexer em alguma coisinha”

Ronaldo Bressane,
de “O impostor”

Foto Reprodução

“O que mais funciona
é tentativa e erro, à exaustão.
Demoro para achar uma voz,
mudo muitas vezes o narrador,
até intuir que está bom”

Maria Clara Drummond,
de “A realidade devia
ser proibida”

Foto Reprodução

“Ser jovem ajuda, jovem
por dentro. Ouvir os jovens,
como eles falam, não como
escrevem. Pra mim, texto bom
vai pra boca, é feito pra falar”

Anderson França,
de “Rio em shamas”

Foto Reprodução

“Texto precisa de no mínimo
um pernoite. No dia seguinte,
o autor consegue estranhar
seu próprio texto e até duvidar
do que escreveu”

Eliane Brum, de “A vida
que ninguém vê”

Foto Reprodução

“Quando decido escrever sem
estar plenamente inspirado,
a tarefa se mostra dificultosa.
Nessas situações, recorro
muito a dicionários analógicos
e de sinônimos”

Bernardo Kucinski, de “K”

Texto
Camilo Rocha

Arte
Gustavo Balducci

LEIA MAIS

ASSINE O NEXO

Apoie o jornalismo
independente de qualidade
e tenha acesso ilimitado
a conteúdos como esse.