Pensando em fazer uma pós? Aqui estão dicas importantes

Do tipo de curso ao financiamento, continuar nos estudos depois da graduação envolve várias decisões

     

    “Em face do acúmulo de conhecimentos em cada ramo das ciências e da crescente especialização das técnicas, o estudante moderno somente poderá obter, ao nível da graduação, os conhecimentos básicos de sua ciência e de sua profissão”, dizia o texto do documento do Ministério da Educação que inaugurou, em 1965, a regulamentação dos cursos de pós-graduação no Brasil. Mais de cinquenta anos depois, a importância do conhecimento extra proporcionado por esse tipo de curso vem atraindo mais e mais estudantes.

    Nas últimas duas décadas, cresceu o número de brasileiros ingressando em cursos de pós-graduação, que abrangem de especializações conhecidas como MBA a doutorados. De acordo com dados da Pnad (Pesquisa Nacional por Amostra Domicílios), em 2002, 385 mil pessoas declararam terem se educado até o nível do mestrado ou doutorado. Em 2015, o número era de 567 mil. É uma tendência internacional: entre 1998 e 2006 o número de doutorados nos países da OCDE (Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Econômico) aumentou 40%.

    PARA CONTINUAR LENDO,
    TORNE-SE UM ASSINANTE

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.