O conhecimento científico e as evidências como solução

Ao longo do mês de dezembro, o ‘Nexo’ destaca 20 características do nosso tempo que foram escancaradas em 2020. Este capítulo trata do protagonismo crescente da ciência durante a crise sanitária

Estamos com acesso livre temporariamente em todos os conteúdos como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos de assinatura. Assine o Nexo.

No ano em que uma ameaça biológica transformou o mundo, a ciência ganhou protagonismo como saída necessária para a crise global. Apesar da intensificação dos discursos anticientíficos por parte de quem já desacreditava pesquisadores, a produção científica recebeu um reconhecimento renovado e mais amplo na sociedade.

Na pandemia, pessoas que não tinham muita noção de como a ciência funciona viram a importância do método científico e acompanharam de perto as etapas do desenvolvimento de uma vacina, dos testes à regulamentação. Os resultados obtidos em tempo recorde só vieram onde já havia uma base consolidada de conhecimento, nem sempre valorizada da forma devida.

Epidemiologistas, infectologistas e outros profissionais da medicina viraram presença constante na mídia, popularizando medidas de prevenção ao vírus, como o isolamento social. Alguns cientistas se tornaram quase celebridades. Com a exposição, vieram ataques, teorias conspiratórias e negacionismo chancelado pelo alto escalão de governos.

Frequentemente antagonizado por governos como os de Donald Trump, nos EUA, e de Jair Bolsonaro, no Brasil, o jornalismo reforçou sua importância ao levar à população informações e dados da pandemia, tanto no lugar dos canais oficiais quanto a despeito da desinformação espalhada por eles.

Abaixo, o Nexo lista cinco conteúdos publicados em 2020 que ajudam a revisitar e entender o assunto.

Como funciona o método científico. E por que ele é diferente de opinião

Composição do conhecimento passa por etapas rigorosas e depende de evidências

Leia na íntegra

‘Um país sem ciência é incapaz de definir seus rumos’

Diretor científico da Fapesp, Luiz Eugênio Mello fala ao ‘Nexo’ sobre o financiamento da pesquisa brasileira

Leia na íntegra

Como ler os dados sobre eficácia das vacinas contra a covid-19

Índices alcançados pelos imunizantes ainda precisam ser formalizados à comunidade científica e analisados pela Anvisa e órgãos semelhantes de cada país

Leia na íntegra

Por que efeitos colaterais em pessoas vacinadas são comuns

Reino Unido registrou dois casos leves de reação alérgica à vacina da Pfizer entre profissionais de saúde, que já se recuperaram. Casos graves são raros

Leia na íntegra

Natália Pasternak: como vai ser o amanhã?

No Podcast da Semana da revista Gama, a bióloga Natália Pasternak fala da vacina contra a covid-19, o futuro pós-pandemia e o que levaremos de legado daqui para frente

Leia na íntegra

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.