Os resultados da reforma trabalhista 2 anos após sua aprovação

Na série ‘como ficou’, o ‘Nexo’ trouxe números e ouviu especialistas sobre o que aconteceu com o mercado de trabalho no Brasil desde a reforma trabalhista

    A reforma trabalhista passou a valer em 11 de novembro de 2017, quatro meses após ser aprovada pelo Congresso. A alteração da legislação do trabalho era uma das principais bandeiras do então presidente Michel Temer, que havia assumido o cargo após o impeachment de Dilma Rousseff em 2016. A reforma mudou as regras para contratar, demitir, negociar e acionar a Justiça. No momento em que a nova regra completa dois anos de vigência, o Nexo preparou textos sobre como ficaram as ações trabalhistas, as negociações coletivas e o emprego.

    Como ficou o quadro de ações trabalhistas 2 anos após a reforma

    Neste primeiro texto, o ‘Nexo’ apresentou os números e ouviu especialistas sobre a mudança no volume de casos que vão para a Justiça

    Leia na íntegra

     

    Acordo coletivo: como ficou 2 anos após a reforma trabalhista

    No segundo texto da série, o ‘Nexo’ mostrou que o número de negociações caiu, e representantes de sindicato e do patronato divergem sobre os motivos

    Leia na íntegra

     

    Como ficou o emprego 2 anos após a reforma trabalhista

    No terceiro e último texto da série, veja o que aconteceu com o desemprego, a informalidade e a renda depois da mudança na lei

    Leia na íntegra

     

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

    Já é assinante?

    Entre aqui

    Continue sua leitura

    Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: