Loading: a aposta mais efêmera da história da TV aberta brasileira
Foto: Reprodução

Loading: a aposta mais efêmera da história da TV aberta brasileira

Rede de papelarias e empresa de comunicação apostaram alto em canal que usava estrutura da antiga MTV. Após 171 dias no ar, fecharam as portas sem explicação pública, com demissão em massa

    O clima de otimismo contagiava o número 52 da avenida Professor Alfonso Bovero, na zona oeste da capital paulista, no dia 7 de dezembro de 2020. “Vocês não têm noção da alegria que eu estou sentindo”, disse a apresentadora Mariana Ayrez de dentro do prédio que entre 1990 e 2013 abrigou a antiga MTV. Ela estava ao vivo, no programa “Multiverso”, no dia de estreia da Loading, emissora que se apresentava como nova face da cultura pop brasileira, com desenhos, animes e conteúdo jornalístico inteiramente dedicado ao público jovem e geek.

    O investimento para a criação do novo canal era encabeçado pela rede de papelarias Kalunga, em associação com a Spring Comunicação, e seguia uma estratégia da empresa para tentar rejuvenescer a marca. Nas apresentações feitas a potenciais anunciantes, a promessa dos executivos era levar ao ar “pilares de conteúdos inovadores para o formato atual de TV”. A tentativa não só ecoava o espírito da antiga MTV como ia além: num dos trechos do power point apresentado nas reuniões comerciais havia a meta de transformar a Loading na “marca jovem mais lembrada do país”.

    ASSINE O NEXO PARA
    CONTINUAR LENDO

    Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

    VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
    SEM DIFICULDADES

    Já é assinante, entre aqui

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.