120 anos de Pixinguinha, palavra que resume a música popular brasileira
Foto: Acervo Pixinguinha/IMS

120 anos de Pixinguinha, palavra que resume a música popular brasileira

Também neste ano, comemora-se o centenário de ‘Carinhoso’, clássico da MPB de sua autoria. Como músico, compositor e arranjador, ele teve participação definidora no que se entende hoje pela música brasileira

Temas

O diminutivo carinhoso do apelido esconde a forma superlativa usada por músicos, críticos, pesquisadores e admiradores quando falam de Pixinguinha. Ficou conhecida, por exemplo, a frase do historiador e crítico Ary Vasconcelos: “Se você tem 15 volumes para falar de toda a música brasileira, fique certo de que é pouco. Mas se dispõe apenas do espaço de uma palavra, nem tudo está perdido. Escreva depressa: Pixinguinha”.

Fernando Faro, criador do tradicional programa musical “Ensaio”, da TV Cultura, chegou a canonizar o músico. “Era um gênio. Mais do que um gênio, era um santo, por isso morreu na igreja”, disse na edição que foi ao ar em 1999 em homenagem ao músico, fazendo referência à morte de Pixinguinha na igreja Nossa Senhora da Paz, em Ipanema, em 1973, durante a celebração de um batizado.

Santo ou não, uma das personalidades mais fundamentais da música popular brasileira completaria 120 anos em 2017 – no dia 4 de maio, descobriu-se recentemente, e não em 23 de abril – data em que, por isso, se comemora o Dia Nacional do Choro –, como se acreditava até então.

ASSINE O NEXO PARA
CONTINUAR LENDO

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.