Profissão

Como me tornei ambientalista. E a vida entre florestas e conferências

Foto: Raquel Cunha

Discussões sobre a mudança do clima em nível nacional e internacional ocupam a vida de Carlos Rittl

O paulistano Carlos Rittl tem 48 anos. Formou-se administrador pela Fundação Getúlio Vargas em São Paulo e fez mestrado e doutorado em biologia tropical e recursos naturais, pelo INPA (Instituto Nacional de Pesquisas da Amazônia). Atua há 20 anos na área ambiental e, nos últimos dez, dedicou-se ao tema de mudanças climáticas, tendo liderado a Campanha de Clima do Greenpeace no Brasil e o Programa de Mudanças Climáticas e Energia do WWF-Brasil.

Ao longo de sua carreira, trabalha pelo avanço do debate e progresso das políticas públicas sobre florestas, mudanças do clima, energia e sustentabilidade no Brasil. Participou das negociações multilaterais da Convenção-Quadro das Nações Unidas sobre Mudanças do Clima (UNFCCC), que acompanha desde 2004, da Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável (Rio+20), e diversos processos de formulação de políticas públicas sobre temas de sua especialidade.

Em 2013, Carlos assumiu a Secretaria Executiva do Observatório do Clima, rede brasileira formada em 2002, composta por 43 organizações não governamentais e movimentos sociais e que atua para o progresso do diálogo, das políticas públicas e processos de tomada de decisão sobre mudanças climáticas no Brasil e globalmente.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.