Funai: a insegurança dos servidores e o desmonte da estrutura

Nova paralisação nacional pede esclarecimento de assassinato de Bruno Pereira e Dom Phillips, além de saída do atual presidente da fundação indigenista

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Servidores da Funai (Fundação Nacional do Índio) participaram de uma nova paralisação nacional nesta quinta-feira (23). A mobilização focou em duas reivindicações: uma investigação ampla sobre a morte do indigenista Bruno Pereira e do jornalista britânico Dom Phillips e a saída de Marcelo Xavier da presidência do órgão. Bruno Pereira foi servidor da Funai até 2019, quando pediu licença do cargo para trabalhar na Univaja (União dos Povos Indígenas do Vale do Javari). Ele mesmo chegou a relatar diversas vezes a falta de segurança a que ele e os colegas eram submetidos ao realizar o seu trabalho, como mostra o Durma com essa”. O programa traz também a redatora Isabela Cruz falando sobre a mais recente pesquisa eleitoral para as eleições presidenciais de 2022, divulgada nesta quinta-feira (23), o repórter especial João Paulo Charleaux comentando a cúpula dos países do Brics e a editora-executiva da Gama Revista, Isabelle Moreira Lima, dando dicas culturais na seção “Achamos que vale”, inspirada na newsletter homônima que você pode assinar clicando aqui.

Assine o podcast: Spreaker | Apple Podcasts | Deezer | Google Podcasts | Spotify | Outros apps (RSS)

Edição de áudio Roberto Soares

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.