A criança, a juíza e a dificuldade do aborto legal no Brasil

Menina de 11 anos em Santa Catarina que foi estuprada, engravidou do agressor e foi impedida de realizar procedimento é autorizada a voltar a morar com a mãe após repercussão do caso

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    A juíza Joana Ribeiro Zimmer deixou o caso da menina de 11 anos de Santa Catarina que foi estuprada e tentava autorização para interromper a gravidez. A magistrada foi responsável por manter a criança durante mais de um mês em um abrigo para evitar que ela fizesse o aborto. Nesta terça-feira (21), a Justiça autorizou que a menina volte a morar com a mãe. O “Durma com essa” explica o caso e mostra como o acesso ao aborto legal é dificultado no país. O programa também tem participação do redator Cesar Gaglioni, que comenta as acusações sobre o acesso de dados de usuários americanos da rede social TikTok, e do repórter especial João Paulo Charleaux, que trata das medidas do governo do Equador para conter os protestos no país.

    Assine o podcast: Spreaker | Apple Podcasts | Deezer | Google Podcasts | Spotify | Outros apps (RSS)

    Edição de áudio Roberto Soares

    Arte Cristiano Siqueira (@crisvector)

    ESTÁ ERRADO: Diferentemente do que foi dito durante o programa, a menina de 10 anos que foi estuprada por um tio e engravidou no Espírito Santo só conseguiu fazer o procedimento em um hospital de Recife (PE), não de Jacareí (SP). Também foi dito que uma portaria do Ministério da Saúde obriga os profissionais do SUS (Sistema Único de Saúde) a notificar as autoridades policiais se houver indícios ou confirmação de crime de estupro. Na verdade, a portaria apenas recomenda a notificação.

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.