A tentativa de emplacar uma CPI do MEC em ano eleitoral

Senador de oposição, Randolfe Rodrigues tenta viabilizar investigação sob o argumento de inação do Ministério Público. Governistas veem tentativa de minar campanha do presidente

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Atrás de assinaturas para criar a CPI do MEC, Randolfe Rodrigues disse nesta segunda-feira (11) que o Ministério da Educação virou um “balcão de negócios do centrão” no governo Jair Bolsonaro. Apoiadores do presidente afirmam que abrir uma comissão parlamentar em 2022 é apenas uma tentativa da oposição de explorar acusações sem provas no ano em que o presidente vai tentar a reeleição. O “Durma com essa” explica essa disputa em torno de um governo que alega ter “acabado com a corrupção”. O programa tem também a redatora Isadora Rupp falando sobre suspeitas em contratos federais de pavimentação e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando as eleições na França.

    Assine o podcast: Spreaker | Apple Podcasts | Deezer | Google Podcasts | Spotify | Outros apps (RSS)

    Colaborou Roberto Soares

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.