O julgamento que pode limitar a cobertura de planos de saúde

Superior Tribunal de Justiça adia decisão sobre interpretação da lista de procedimentos que operadoras são obrigadas a custear. Manifestações de mães de crianças que precisam de tratamentos caros movimentam redes sociais

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O Superior Tribunal de Justiça adiou um esperado julgamento sobre a cobertura obrigatória de planos de saúde nesta quarta-feira (23). A depender da decisão, as operadoras não precisarão pagar por tratamentos que não estejam expressamente previstos no rol de procedimentos da ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar). Hoje, tribunais costumam decidir a favor de clientes que têm seus pedidos negados pelas empresas mesmo sob justificativa médica. O “Durma com essa” fala sobre como manifestações de mães de autistas e pessoas com deficiência movimentaram as redes sociais e dos argumentos em torno da discussão. O programa tem também o redator Cesar Gaglioni falando sobre as festas privadas no carnaval e o repórter especial João Paulo Charleaux apresentando os países que apoiam a Rússia na crise da Ucrânia.

Assine o podcast: Spreaker | Apple Podcasts | Deezer | Google Podcasts | Spotify | Outros apps (RSS)

Colaborou Roberto Soares

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.