Caminhoneiros: o freio imposto a quem se radicalizou

Motoristas que aderiram ao 7 de setembro investiram em bloqueios nas estradas, mas acabaram desmobilizados após relutância e desconfiança diante da mudança de tom de Bolsonaro

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Grupos de caminhoneiros começaram a bloquear estradas em vários estados do país na quarta-feira (8), após os atos governistas de 7 de setembro. Apoiadores de Jair Bolsonaro, os motoristas reivindicavam medidas contra os ministros do Supremo Tribunal Federal. Temendo os efeitos econômicos das manifestações, que poderiam prejudicar o governo, Bolsonaro pediu que os caminheiros liberassem as rodovias. O “Durma com essa” fala sobre a dimensão da paralisação, sobre o recuo do presidente frente a seus apoiadores e o histórico das greves de caminhoneiros no Brasil. O programa traz ainda o redator Marcelo Roubicek falando sobre a inflação do país, que alcançou a maior taxa para agosto desde 2000, e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando os 20 anos dos atentados terroristas de 11 de Setembro.

    Assine o podcast: Spreaker | Apple Podcasts | Deezer | Google Podcasts | Spotify | Outros apps (RSS)

    Colaborou Roberto Soares

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.