Como ‘liberdade’ virou mote para os protestos de 7 de setembro

Palavra passou a ser usada por apoiadores de Bolsonaro para substituir o tom golpista das manifestações em defesa do voto impresso e contra ministros do Supremo

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Pautas autoritárias guiaram inicialmente as convocações para os atos marcados para 7 de setembro, Dia da Independência, em defesa de Jair Bolsonaro. O mote dos protestos, no entanto, mudou. Agora, a palavra “liberdade” passou a ser usada pelos apoiadores do presidente para justificar sua ida às ruas. O “Durma com essa” desta quarta-feira (1º) retrata essa transformação a partir das reações judiciais ao golpismo bolsonarista. O programa traz ainda o redator Marcelo Roubicek falando sobre o recuo do PIB no segundo trimestre e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando o retorno da oposição à disputa eleitoral na Venezuela.

    Assine o podcast: Spreaker | Apple Podcasts | Deezer | Google Podcasts | Spotify | Outros apps (RSS)

    Colaborou Roberto Soares

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.