O silêncio que precede o novo barulho esperado na CPI

Empresário Carlos Wizard se cala diante de senadores, que aprovam convocação de personagens envolvidos nas suspeitas de pedido de propina na compra de vacinas pelo governo Bolsonaro

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O empresário Carlos Wizard, entusiasta da cloroquina e conselheiro do governo federal, ficou em silêncio nesta quarta-feira (30) na CPI da Covid no Senado, valendo-se de um habeas corpus concedido pelo Supremo. Os integrantes da comissão ficaram sem respostas, mas registraram suas posições. No mesmo dia, convocaram os personagens envolvidos com as suspeitas de propina na compra de vacinas reveladas na véspera pelo jornal Folha de S.Paulo e pela revista Crusoé. Entre os convocados está Ricardo Barros (PP-PR), líder do presidente Jair Bolsonaro na Câmara dos Deputados. O “Durma com essa” mostra o papel de Wizard na pandemia e explica por que a CPI espera voltar a fazer barulho com os novos convocados após o silêncio do empresário. O programa traz também o redator Marcelo Roubicek falando sobre os dados de desemprego no Brasil e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando os cem anos do Partido Comunista da China.

    Assine o podcast: Spreaker | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

    Colaborou Roberto Soares

    Veja e leia mais sobre a China

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.