Covid: o que mudou (e o que não mudou) na violência de gênero

Uma em cada quatro mulheres no Brasil sofreu algum tipo de agressão física, verbal ou sexual entre maio de 2020 e 2021, segundo levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Um levantamento do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, publicado nesta segunda-feira (7), traçou um retrato da violência contra a mulher nos meses da pandemia de covid-19. Os dados foram levantados pelo Instituto Datafolha, que fez 2.079 entrevistas em 130 cidades em maio de 2021. Cerca de um quarto das mulheres entrevistadas relataram ter sofrido violência física, sexual ou verbal nos 12 meses anteriores. O “Durma com essa” traz os dados do levantamento e conversa com Juliana Martins, coordenadora institucional do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, sobre o que mudou e o que não mudou na pandemia. O programa também traz participações do redator Marcelo Roubicek, que fala da crise na CBF (Confederação Brasileira de Futebol), e do repórter especial João Paulo Charleaux, que comenta o segundo turno das eleições presidenciais do Peru.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaboraram Mauricio Abbade e Roberto Soares

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.