As tentativas de punir Bolsonaro por aglomerar sem máscara

Secretário do governo do Maranhão aciona Ministério Público Federal para investigar crime contra a saúde pública em eventos do presidente no estado. Ele já havia sido autuado pela vigilância sanitária local

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Jair Bolsonaro se tornou alvo nesta terça-feira (25) de uma representação no Ministério Público Federal por crime contra a saúde pública por não usar máscara em eventos no Maranhão na semana anterior. O autor da ação é um dos secretários do governo Flávio Dino (PCdoB), que já havia autuado o presidente pela infração. O “Durma com essa” fala sobre as ações contra Bolsonaro por provocar aglomerações na pandemia desde 2020 e a inércia das autoridades em responsabilizá-lo. O episódio também tem a participação do redator Estêvão Bertoni, que comenta o depoimento da secretária do Ministério da Saúde que ficou conhecida como “capitã cloroquina”, e do repórter especial João Paulo Charleaux, que fala sobre um atentado no Peru às vésperas do segundo turno da eleição presidencial.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Mauricio Abbade

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.