O alerta da Anvisa e a suspensão da vacinação de grávidas

Agência recomenda paralisação do uso do imunizante de Oxford em gestantes. Estados e municípios interrompem aplicação de doses e aguardam novas orientações

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Estados e municípios suspenderam a vacinação de grávidas e puérperas nesta terça-feira (11), após a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) fazer alertas sobre o uso da vacina de Oxford, desenvolvida pelo laboratório anglo-sueco Astrazeneca. Alguns locais barraram apenas esse imunizante, mantendo a aplicação de doses da Coronavac e da vacina da Pfizer. Outros interromperam totalmente a campanha para gestantes. O “Durma com essa” explica os motivos da suspensão e mostra quais são as recomendações para quem está esperando ou acabou de ter um bebê. O programa traz também o redator Marcelo Roubicek falando sobre o “tratoraço” do governo Bolsonaro e o repórter especial João Paulo Charleuax comentando a volta da tensão no conflito entre Israel e Palestina.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Mauricio Abbade

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.