Política indígena no Brasil: entre retrocessos e omissões

Paralisação na demarcação de terras e falhas no combate à covid estão entre os principais alertas feitos por povos em 2021. Em nota, Ministério Público Federal afirma que há cenário de ‘violações sem precedentes’

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Na segunda-feira (19), data em que se celebra o Dia dos Povos Indígenas, lideranças e grupos organizaram protestos em Brasília, e o Ministério Público Federal publicou uma nota em que define a situação da política indigenista brasileira como um "cenário de retrocessos". A câmara temática responsável pelo tema na Procuradoria-Geral da República listou, entre as principais preocupações, a falta de demarcação de terras indígenas, uma promessa de campanha que Jair Bolsonaro cumpre desde que iniciou o mandato em 2019. O “Durma com essa” fala sobre as consequências dessa paralisação e o estado da política indígena no Brasil em 2021. O programa também traz a participação do redator Estêvão Bertoni, que comenta a flexibilização de medidas restritivas em São Paulo e outros estados.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Mauricio Abbade

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.