O avanço no Congresso do projeto que facilita a vacinação privada

Câmara aprova texto que flexibiliza as regras para a compra de doses destinadas a funcionários e permite aquisição de imunizantes sem aval da Anvisa. Proposta segue para o Senado

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

A Câmara dos Deputados concluiu na quarta-feira (7) a votação do projeto de lei que permite que as empresas comprem vacinas contra a covid-19 para aplicação em seus funcionários, desde que doem 50% ao SUS (Sistema Único de Saúde). A proposta, que ainda será analisada pelo Senado, derruba a necessidade de repassar a totalidade das doses ao sistema público de saúde até que todos os grupos prioritários estejam imunizados no país. Também libera as empresas a comprarem vacinas que não receberam aval da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). O “Durma com essa” detalha o projeto e as críticas à vacinação privada no atual momento da pandemia. O programa também tem a participação do redator Estêvão Bertoni, que comenta a reação do presidente Jair Bolsonaro aos sucessivos recordes nos números da covid no Brasil, e do repórter especial João Paulo Charleaux, que fala sobre a operação militar da Venezuela na fronteira com a Colômbia.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Mauricio Abbade

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.