A fidelidade do novo ministro da Saúde ao governo Bolsonaro

Escolhido pelo presidente, Marcelo Queiroga afirma que dará continuidade à gestão de Pazuello e ressalta que seguirá política do governo

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Marcelo Queiroga deu início nesta terça-feira (16) à transição no Ministério da Saúde. O médico vai substituir o general Eduardo Pazuello no comando da pasta no pior momento da pandemia de covid-19 no Brasil. A mudança vem sendo recebida com ceticismo por governadores e especialistas em saúde, para quem não adianta mudar nomes se a política do governo Bolsonaro não mudar. “A política é do governo Bolsonaro, não é do ministro da Saúde. A Saúde executa a política do governo”, disse Queiroga. O “Durma com essa” mostra os sinais do novo ministro e o contexto de sua chegada a Brasília. O programa traz também o redator Estêvão Bertoni falando sobre o colapso hospitalar pelo Brasil e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando os símbolos que movem os protestos no sul e no sudeste asiático.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Mauricio Abbade

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.