A vigilância e o medo diante das novas variantes do coronavírus

Países restringem entrada de viajantes para evitar contágio por linhagens do Reino Unido, África do Sul e Brasil, enquanto laboratórios estudam possível impacto em vacinas

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

O governo federal proibiu na terça-feira (26) a entrada no Brasil de viajantes da África do Sul. Desde dezembro, também restringe voos do Reino Unido. Ao mesmo tempo, os Estados Unidos mantiveram a proibição de passageiros vindos do Brasil, e a União Europeia estuda impor restrições a turistas brasileiros e de outros locais. Em todos os casos, as decisões são movidas pela preocupação com as novas variantes do coronavírus identificadas no Reino Unido, na África do Sul e em Manaus, no Brasil, que se mostram mais transmissíveis que as anteriores. O “Durma com essa” fala sobre o surgimento de novas linhagens, o aumento da vigilância epidemiológica nos países e a importância da vacinação nesse contexto. Também participa do programa o redator Estêvão Bertoni, que fala sobre a compra de imunizantes pela iniciativa privada, e o repórter especial João Paulo Charleaux, que comenta a mudança de tom da diplomacia brasileira.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Mauricio Abbade

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.