A eficácia da Coronavac. E a vacinação em São Paulo

Governo estadual diz que imunizante produzido em parceria com laboratório chinês protegeu 78% dos voluntários durante os testes clínicos. Imunização está prevista para começar em 25 de janeiro

Estamos com acesso livre temporariamente em todos os conteúdos como uma cortesia para você experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos de assinatura. Assine o Nexo.

O governo de São Paulo anunciou nesta quinta-feira (7) que a Coronavac tem 78% de eficácia para casos leves. O imunizante agora precisa ser aprovado pela Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária). A vacinação no estado está prevista para começar em 25 de janeiro para grupos prioritários. O “Durma com essa” explica os caminhos até o anúncio e mostra os meandros políticos que envolvem o tema. O programa traz ainda a redatora Aline Pellegrini falando sobre os vestibulares em meio à pandemia (ver também nxo.do/enem2020) e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando a crise política americana.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Mauricio Abbade

ESTAVA ERRADO: Este programa dizia num trecho inicial que 78% dos vacinados nos testes não pegaram covid-19, dando a entender que é assim que se calcula a taxa de eficácia. Na verdade, a eficácia é a proporção entre os infectados que tomaram vacina nos testes em relação ao infectados que tomaram o placebo, conforme é explicado na parte final do programa. O áudio foi corrigido e substituído às 12h28 de 8 de janeiro de 2021.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.