A flexibilização da Lei da Ficha Limpa. E as reações à decisão

Ministro Kassio Nunes Marques reduz tempo de inelegibilidade e é criticado por movimentos anticorrupção. PDT e Bolsonaro defendem mudança

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte de nossos conteúdos são exclusivos para assinantes, mas esta seção é de acesso livre sempre. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

Uma decisão de Kassio Nunes Marques vem despertando um debate sobre a aplicação da Lei da Ficha Limpa. O ministro do Supremo reduziu via liminar o tempo de inelegibilidade de políticos condenados e enquadrados na legislação. A medida é defendida pelo PDT, que propôs a ação, e pelo presidente Jair Bolsonaro. Mas ela é criticada por movimentos anticorrupção. O “Durma com essa” desta quarta-feira (23) explica as mudanças e as contestações. O programa traz também o redator Estêvão Bertoni falando sobre a vacina do governo paulista em parceria com uma empresa chinesa e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando a nova dissolução do governo de Israel.

Assine o podcast: Soundcloud | iTunes | Google | Spotify | Deezer | Outros apps (RSS)

Colaborou Natan Novelli Tu.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.