A demissão em massa na Embraer. E o momento da empresa

Companhia anuncia redução de 12,5% no quadro de funcionários. Justificativas apresentadas são a crise no setor de aviação e o negócio frustrado com a Boeing

    A Embraer anunciou nesta quinta-feira (3) que vai demitir 2.500 funcionários de suas unidades no Brasil. Novecentos foram dispensados e 1.600 aderiram a um plano de demissão voluntária. A empresa atribui o prejuízo de cerca de R$ 3 bilhões no primeiro semestre à crise do setor de aviação e ao negócio frustrado com a Boeing em abril. O “Durma com essa” explica o momento da companhia e traz o redator Marcelo Roubicek comentando a proposta do governo de reforma administrativa. O repórter especial João Paulo Charleaux fecha o episódio falando a respeito da pressão geopolítica sobre o presidente russo Vladimir Putin após a confirmação de envenenamento de um opositor. Assine o Nexo e apoie o jornalismo independente de qualidade.

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.