A suspensão de processos que tentam punir Dallagnol

Supremo barra julgamentos que analisariam pedidos de afastamento de procurador da coordenação da força-tarefa da Lava Jato. Uma terceira representação teve sua análise adiada

    O Conselho Nacional do Ministério Público retirou de sua pauta nesta terça-feira (18) dois processos administrativos que pediam o afastamento de Deltan Dallagnol da coordenação da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. A medida foi tomada após ordem do ministro do Supremo Tribunal Federal Celso de Mello. Uma terceira representação teve a análise adiada por uma semana. As decisões aliviam a pressão sobre o procurador da República num momento de disputa em torno da operação. O “Durma com essa” contextualiza os questionamentos a Dallagnol. Traz também o redator Estêvão Bertoni falando sobre a votação do Fundeb no Senado e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando as disputas em torno da exploração de gás natural no Mar Mediterrâneo.

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.