Do mau exemplo à infecção: Bolsonaro e a covid-19

Após minimizar pandemia, ignorar a ciência e desrespeitar autoridades de saúde, presidente diz que está com coronavírus e aproveita para fazer propaganda da cloroquina, remédio sem eficácia comprovada

Jair Bolsonaro disse nesta terça-feira (7) que está com covid-19. Ao fazer o anúncio, aproveitou para dizer que está tomando hidroxicloroquina, um derivado da cloroquina, remédio sem eficácia comprovada no combate à doença causada pelo novo coronavírus. O presidente é um negacionista da pandemia. Já chamou a covid-19 de “gripezinha”, incentivou e participou de aglomerações, resistiu ao uso de máscaras de proteção e, ao ser perguntado sobre as vítimas da pandemia, já chegou a responder: “E daí? Lamento. Quer que eu faça o quê?”. O “Durma com essa” mostra as atitudes anticientíficas de Bolsonaro e a descoordenação governamental na crise de saúde mais grave do século 21. O programa traz ainda o redator Marcelo Roubicek falando sobre o crescimento do risco Brasil e o repórter especial João Paulo Charleaux comentando o ensaio de autocrítica que líderes de antigas potências colonialistas vêm fazendo em meio aos protestos antirracistas.

Colaborou Laila Mouallem

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.