Como a ONU relaciona racismo e pandemia no Brasil e nos EUA

Nações Unidas destacam que coronavírus expõe ‘discriminação endêmica’ nos dois países e fazem referência ao caso George Floyd, que desencadeou protestos nos EUA. Questão racial também aparece em manifestações brasileiras

A ONU divulgou uma nota nesta terça-feira (2) na qual destaca o impacto da pandemia do novo coronavírus nas populações negras de países como o Brasil e os Estados Unidos. O texto também faz referência ao assassinato de George Floyd, homem negro morto por um policial branco na cidade americana de Minneapolis, que gera protestos no país desde a semana passada. O “Durma com essa” explica os motivos pelos quais os negros morrem proporcionalmente mais na crise sanitária e também fala sobre a pauta racial nas manifestações nos dois países. O correspondente internacional João Paulo Charleaux conta quais são as reações do presidente americano Donald Trump às revoltas populares e a redatora Juliana Domingos de Lima fala sobre como realidade e ficção se misturam na obra do cineasta Spike Lee.

Materiais de referência:

Colaborou Laila Mouallem

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante? x

Entre aqui

Continue sua leitura

Inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: