Como Mussolini e Hitler viraram referência na crise brasileira

Presidente da República cita frase ligada a ditador fascista italiano. Ministro do Supremo compara Brasil à Alemanha de Hitler

    O nome do ditador Benito Mussolini foi parar entre os assuntos mais comentados no Twitter nesta segunda-feira (1º). As menções foram impulsionadas por uma mensagem postada no Facebook no dia anterior por Jair Bolsonaro. O presidente divulgou um vídeo que traz a frase “Melhor viver um dia como leão que cem anos como cordeiro”, que era bordão do fascismo italiano. Também no domingo (31), o ministro do Supremo Celso de Mello, relator do inquérito que apura suspeitas de interferência, mandou mensagem para os colegas de tribunal comparando o Brasil de hoje à Alemanha de Adolf Hitler, “guardadas as devidas proporções”. O “Durma com essa” explica por que o léxico da crise política nacional descambou para referências a regimes totalitários do século 20. Traz também comentários do correspondente internacional João Paulo Charleaux, sobre o significado de uma bandeira ucraniana que aparece em manifestações bolsonaristas, e do redator Marcelo Roubicek, sobre o papel político das torcidas organizadas.

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.