Ir direto ao conteúdo

A nova encrenca diplomática do governo brasileiro com a China

Embaixador chinês pede retratação oficial por insinuações de ministro da Educação sobre supostos interesses dos asiáticos na propagação do novo coronavírus. Abraham Weintraub também ridicularizou o sotaque chinês nas redes sociais

    Nesta segunda-feira (6), o embaixador da China no Brasil, Yang Wanming, pediu uma retratação oficial do governo brasileiro por uma publicação do ministro Abraham Weintraub em sua página pessoal no Twitter no domingo (5). Nela, o titular da Educação ridiculariza o sotaque chinês por meio de uma referência ao personagem Cebolinha, da Turma da Mônica, e insinua que o país teria a ganhar muito geopoliticamente com a disseminação do novo coronavírus pelo mundo. O “Durma com essa” de hoje explica o contexto da declaração, em meio a uma corrida mundial por equipamentos fabricados pela China, a importância dos asiáticos como parceiros comerciais do Brasil e relembra um precedente recente também envolvendo o círculo presidencial. O redator Guilherme Henrique participa falando sobre um estudo do Exército brasileiro, publicamente disponível até esta segunda, que contradiz pontos do discurso do presidente Jair Bolsonaro com relação à quarentena. O documento acabou saindo do ar. E o repórter especial João Paulo Charleaux fala da internação do premiê britânico Boris Johnson por covid-19.

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.