Ir direto ao conteúdo

Coronavírus: a morte no Rio e o trabalho doméstico na pandemia

Mulher de 63 anos tinha diabetes e hipertensão e teve contato direto com patroa infectada na capital fluminense. Primeira vítima no estado chama a atenção para categoria vulnerável na pandemia

Nesta quinta-feira (19) o governo do Rio de Janeiro confirmou a primeira morte causada pelo coronavírus no estado. A vítima era uma empregada doméstica de 63 anos, diabética e hipertensa, que teve contato direto com a patroa, que voltou infectada de uma viagem à Itália. Caso chama atenção para a situação dos trabalhadores domésticos, formais e informais, em meio à crise no Brasil. Participam também o correspondente do Nexo em Paris, João Paulo Charleaux, que fala sobre o papel dos Estados no combate à pandemia no mundo, e o redator Guilherme Henrique, que relata o bate-boca virtual entre o deputado federal Eduardo Bolsonaro, filho do presidente, e o embaixador da China no Brasil.

O Nexo agora tem uma newsletter diária sobre o coronavírus. Ela dá acesso a conteúdos selecionados produzidos pelo jornal que tratam da pandemia, seus impactos na saúde pública, na economia e no cotidiano. Tem ainda uma curadoria de materiais publicados por outros veículos de comunicação. Assine.

Colaborou Laila Mouallem

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.