Ir direto ao conteúdo

Como a pandemia do novo coronavírus desafia a ciência

Pesquisadores ao redor do mundo correm para entender melhor o funcionamento do novo coronavírus e tentar desenvolver uma vacina

    A primeira morte por coronavírus no Brasil foi confirmada na terça-feira (17), mesmo dia em que a OMS (Organização Mundial da Saúde) recomendou que o anti-inflamatório ibuprofeno não seja usado no tratamento dos sintomas da Covid-19. A informação vem de um estudo acadêmico, um dos muitos que estão sendo produzidos com rapidez para tentar entender o funcionamento do novo coronavírus. Os desafios de correr contra o tempo para desvendar um vírus em meio a uma pandemia é o tema principal do “Durma com essa” de hoje, que fala sobre o assunto com o professor Flávio Guimarães da Fonseca, virologista do Centro de Tecnologia de Vacinas e pesquisador da UFMG (Universidade Federal de Minas Gerais). Participam também Estêvão Bertoni, redator do Nexo, que conta o que muda com a confirmação de uma morte no país, e de João Paulo Charleaux, repórter especial, que fala de Paris sobre como a pandemia está fechando fronteiras.

    O Nexo agora tem uma newsletter diária sobre o coronavírus. Ela dá acesso a conteúdos selecionados produzidos pelo jornal que tratam da pandemia, seus impactos na saúde pública, na economia e no cotidiano. Terá ainda uma curadoria de materiais publicados por outros veículos de comunicação. Assine.

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.