O momento de Paulo Guedes: entre crises externas e internas

Declarações polêmicas, ameaças de deixar o cargo e baixo crescimento do PIB marcam gestão do ministro até aqui. Ele tem agora pela frente a instabilidade global dos mercados e um Congresso cada vez mais fustigado por Bolsonaro

    Diante do crash do petróleo, Paulo Guedes adotou um tom de serenidade nesta segunda-feira (9). “Vamos transformar essa crise em crescimento. Vamos transformar essa crise em geração de emprego. Estamos absolutamente tranquilos, a equipe de economia está tranquila”, disse o ministro da Economia. A nova promessa se dá diante de um desempenho de PIB fraco em 2019, desemprego ainda alto, valor do dólar crescendo, tudo isso antes do pânico que tomou conta das bolsas de valores pelo mundo. Guedes, que já ameaçou deixar o cargo mais de uma vez, tem agora pela frente crises externas e internas, estas causadas, muitas vezes, por ações e declarações do presidente Jair Bolsonaro e dele mesmo. Esse é o tema central do “Durma com essa”, que traz ainda Marcelo Roubicek falando sobre a agitação dos mercados e João Paulo Charleaux comentando o acordo militar entre Brasil e EUA.

    Colaborou Natan Novelli Tu

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.