Chuvas e mortes: como as áreas de risco expõem a população

Tempestades na Baixada Santista, em São Paulo, e na região metropolitana do Rio de Janeiro causaram pelo menos 21 mortes e dezenas de desaparecidos

    Chuvas atingiram cidades da Baixada Santista, em São Paulo, na madrugada de terça-feira (3), causando pelo menos 16 mortos e deixando dezenas de desaparecidos após o deslizamento de encostas. Desde sábado (29), a região metropolitana do Rio de Janeiro também vem enfrentando tempestades, que já mataram ao menos 5 pessoas. Muitos dos afetados pela tragédia moram em áreas de risco. O “Durma com essa” de hoje conta essa história e fala com a professora Kátia Canil, da Universidade Federal do ABC, sobre os problemas estruturais que levam a esse quadro. O repórter especial Camilo Rocha fala ainda sobre a possibilidade de a Olimpíada de Tóquio ser cancelada por causa da epidemia de coronavírus, e o correspondente internacional João Paulo Charleaux comenta o impasse na eleição de Israel.

    Colaborou Natan Novelli Tu

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.