Ir direto ao conteúdo

Como foram as reações às mortes no pancadão em São Paulo

Governador de São Paulo lamentou ocorrido e disse que letalidade não foi provocada pela Polícia MIlitar. Moradores contrariam versão oficial

    O governador de São Paulo, João Doria, disse nesta segunda-feira (2) que as nove mortes por pisoteamento em baile funk na favela de Paraisópolis foram um incidente triste, mas que não vai mudar a forma da ação policial no estado. Na madrugada de domingo, a Polícia Militar entrou em uma festa de rua com bombas de gás lacrimogêneo e balas de borracha, gerando pânico e correria. Os policiais afirmam que perseguiam dois homens que atiraram em agentes de segurança e fugiram para o meio do baile. Moradores dizem que não houve tiros e que a ação foi um ato de intimidação por parte da polícia. Ouça no "Durma com essa" como autoridades e pessoas ligadas à comunidade de Paraisópolis reagiram ao caso.

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes