As manifestações que unem as diferentes religiões no Líbano

Protestos de Beirute a Tripoli superam divisões sectárias típicas do país. Entenda por que a população foi às ruas

    Nesta quinta-feira (24), completam-se oito dias de protestos nas ruas do Líbano. O presidente Michel Aoun fez pronunciamento pedindo calma aos manifestantes. Mas a mobilização continua, e a classe política tradicional é um dos principais alvos de crítica por parte da população. Crise econômica, desemprego e corrupção estão entre as causas dos protestos, que reúnem de forma rara no Líbano indivíduos e grupos de diferentes religiões e seitas. Entenda o caso no "Durma com essa".

    Colaborou Natan Novelli Tu

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.