O poder e os impasses da China nos 70 anos da revolução

Potência asiática exalta legado da ruptura comunista de 1949 enquanto lida com protestos por democracia em Hong Kong

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Nesta terça-feira (1), a China comemorou os 70 anos da revolução comunista liderada em 1949 por Mao Tsé-Tung. Com um megadesfile militar em Pequim, exibiu o poderio bélico que hoje garante aos chineses o status de potência global. Ao mesmo tempo, em Hong Kong, que desde 1997 pertence à China, o dia ficou marcado como um dos mais violentos desde que protestos por democracia – contra Pequim – ganharam as ruas, em maio. Neste “Durma com essa”, entenda a história recente e os desafios enfrentados pelos chineses.

    Link para o vídeo citado: China: da revolução comunista ao protagonismo mundial

    Assine o podcast: Spreaker | Apple Podcasts | Deezer | Google Podcasts | Spotify | Outros apps (RSS)

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.