Ir direto ao conteúdo

Como Bolsonaro tratou da questão indígena na Assembleia Geral

Em seu primeiro discurso na ONU, presidente defende a exploração de minério em terras indígenas e ataca o cacique Raoni

O presidente brasileiro, Jair Bolsonaro, fez na terça-feira (24) seu primeiro discurso na Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas, em Nova York. Em uma fala agressiva, Bolsonaro ecoou ideias que defende desde a campanha eleitoral de 2018 e deu amplo destaque a um tema: a questão indígena no Brasil. Apoiando-se na presença de Ysani Kalapalo, que fez parte da comitiva presidencial que foi aos EUA, o presidente disse que não vai demarcar novas terras indígenas em seu mandato e defendeu a mineração nos territórios. Ele também atacou o cacique Raoni. Neste episódio, o “Durma com essa” fala sobre os principais pontos levados por Bolsonaro ao plenário e a reação de líderes indígenas à sua fala.

Colaborou Laila Mouallem

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.