Ir direto ao conteúdo

O recuo do governo de Hong Kong depois de meses de protestos

Chefe-executiva do território anunciou que vai retirar o projeto de lei que autorizava extradição para a China

    A chefe-executiva de Hong Kong, Carrie Lam, anunciou na quarta-feira (4) que vai retirar o projeto de lei que autorizava a extradição de pessoas processadas judicialmente para a China continental. A proposta foi o estopim de uma série de protestos que levaram centenas de milhares de pessoas às ruas de Hong Kong nos últimos meses e que tiveram seu fim de semana mais violento em 31 de agosto. As manifestações acabaram englobando insatisfações da população que vão muito além do projeto de lei que foi revogado, e hoje reivindicam mais autonomia para o território. O “Durma com essa” mostra como os protestos têm se desenrolado e relembra a história conturbada entre Hong Kong e China.

     

    Colaborou Laila Mouallem

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes