Ir direto ao conteúdo

Os decretos de armas revogados e reeditados por Bolsonaro

Sob o risco de ser derrotado no Congresso e no Supremo, presidente muda de estratégia e tenta incluir parlamentares em seu plano de armar a população

    Na iminência de ser derrotado no Congresso e no Supremo, Jair Bolsonaro revogou nesta terça-feira (25) dois decretos que flexibilizavam o porte de armas e o acesso a munições no Brasil. O presidente, porém, não desistiu de sua promessa eleitoral de armar a população. Trata-se apenas de uma mudança de estratégia. Juntamente com a revogação, ele publicou numa edição extra do Diário Oficial outros três decretos sobre o tema e prometeu enviar um projeto de lei, com os pontos mais polêmicos da flexibilização, para apreciação dos parlamentares. Entenda o vaivém do governo no “Durma com essa”.

     
     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes