Ir direto ao conteúdo

O caso da Huawei e a guerra comercial entre EUA e China

Empresas de tecnologia americanas suspendem parte de seus negócios com fabricante chinesa de celulares, a segunda maior do mundo

    Empresas de tecnologia americanas, como Google, Intel e Qualcomm anunciaram nesta segunda-feira (20) que vão cortar relações comerciais, total ou parcialmente, com a Huawei. A empresa chinesa é a segunda maior fabricante de celulares do mundo e atua também na construção de redes de telecomunicações. O presidente Donald Trump havia incluído a Huawei em uma lista de companhias que podem ameaçar a segurança nacional americana. Entenda como essa medida se insere no contexto da guerra comercial travada entre EUA e China.

     

    Colaborou Laura Capelhuchnik

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes