Ir direto ao conteúdo

Queiroz e o Ministério Público: uma cronologia do caso

Ex-assessor de Flávio Bolsonaro tem movimentações financeiras investigadas e pode ser alvo de denúncia mesmo sem depôr

    O procurador-geral de Justiça do Rio de Janeiro, Eduardo Gussem, disse nesta segunda-feira (14) que o Ministério Público não precisa ouvir os depoimentos do senador eleito Flávio Bolsonaro e de seu ex-assessor Fabrício Queiroz para apresentar uma denúncia, no caso das movimentações financeiras suspeitas identificadas pelo Coaf (Conselho de Controle de Atividades Financeiras). O “Durma com essa” relembra a cronologia desde a divulgação do relatório que envolve Queiroz, no fim de 2018. Ouça:

     

    Colaborou Ricardo Monteiro

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

    Mais recentes