Ir direto ao conteúdo

O erro na acusação a Mourão. E o valor da Comissão da Verdade

Geraldo Azevedo disse durante show que foi vítima de tortura do general da reserva hoje vice de Bolsonaro. Haddad reproduziu fala do músico. Depois, eles admitiram equívoco

    Nesta terça-feira (23), um vídeo em que o cantor Geraldo Azevedo diz ter sido torturado durante a ditadura por Hamilton Mourão, o vice na chapa de Jair Bolsonaro, mexeu com a campanha ao Palácio do Planalto. Em sabatina no jornal O Globo, o adversário Fernando Haddad reproduziu a fala do cantor. A informação, porém, estava errada. Todos admitiram o equívoco. Da discussão, emerge a importância do relatório da Comissão Nacional da Verdade, um grupo que investigou e listou nomes de agentes de Estado envolvidos de fato em violações durante a ditadura militar (1964-1985). Entenda o que é esse documento, seu valor histórico e seus limites legais. 

     

    Colaborou Olívia Fraga e Laura Capelhuchnik

     

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.