Como começar a ler a obra de Hilda Hilst

Especialistas falam sobre a linguagem trabalhada em fluxos de consciência da escritora e dão dicas para os iniciantes se aventurarem em seus livros

“A vida foi uma aventura obscena, de tão lúcida”, escreve Hilda Hilst em seu romance “A Obscena Senhora D”, publicado em 1982. A escritora brasileira trabalhou em diversos gêneros literários. Fez poesia, crônica, romance e escreveu peças para teatro. Sua escrita, dona de linguagem muito característica, ganhou maior atenção nos seus últimos anos de vida.

“Eu fico besta. Ninguém me lê, nesses quase 50 anos foi assim, e me descobriram só agora, que estou quase morrendo”, disse em uma entrevista em 1999.

Após sua morte, em 2004, o Instituto Hilda Hilst passou a cuidar de sua obra na chácara Casa de Sol, em Campinas, onde a autora viveu durante boa parte de sua vida, longe da confusão da cidade. Sua obra completa será reunida e lançada no Brasil em duas partes: a poética sai neste ano, a prosa em 2018.

Para quem deseja se iniciar na obra da autora brasileira, conversamos neste podcast com a jornalista Luisa Destri, a professora e doutora em literatura Cristiane Grando, a poeta Alice Sant’Anna, o presidente do Instituto Hilda Hilst Daniel Fuentes e o músico Zeca Baleiro para saber mais sobre a pessoa e a escritora Hilda Hilst e ouvir ainda dicas de como começar a lê-la. Confira:

 
 

As trilhas usadas na produção deste podcast estão presentes no álbum “Ode descontínua e Remota para flauta e Oboé”, poemas de Hilda Hilst musicados por Zeca Baleiro:

ESTAVA ERRADO: A morte da escritora Hilda Hilst aconteceu em 2004 e não 2005, como indicava a versão inicial deste texto. A informação foi corrigida às 11h00 do dia 14 de março de 2017.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.