Há 50 anos, jornalistas eram cerceados pela Lei de Imprensa

Ditadura criou legislação para intimidar veículos e jornalistas; especialistas comentam seus efeitos

Em 9 de fevereiro de 1967, o governo do marechal Castelo Branco promulgou a Lei de Imprensa. Embora seu texto falasse em respeito à liberdade de expressão, trazia outras intenções por trás: intimidar veículos e jornalistas, restringindo a atuação da imprensa que vinha questionando os rumos do regime militar.

O podcast do Nexo conversou com um historiador e dois jornalistas para entender o contexto e as consequências da Lei de Imprensa no jornalismo da época e depois.

São eles: Marcos Napolitano, historiador e autor de "1964, História do Regime Militar Brasileiro"; Eugenio Bucci, jornalista e professor da Escola de Comunicação e Artes da USP; e Roldão Arruda, jornalista e escritor que na década de 70 trabalhou na redação do jornal "Movimento".

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.