Fo·fo·ca

A fofoca podia ser uma foca fofa. Anagrama de cafofo, rima com paçoca. Um de seus sinônimos é o mexerico, irmão da mexerica (estudiosos argumentam que o parentesco vem do cheiro forte da fruta, que denuncia quem a comeu). Disse me disse, disse não disse, disse que disse, diz que diz: a fofoca gosta de brincar de telefone sem fio. Taí uma palavra inocente para uma ação maldosa.

De provável origem banta, usada no registro informal também em Angola e Moçambique, chegou recentemente ao Brasil, em 1975: tem a mesma idade do Rodrigo Santoro e da Maria Ribeiro, que aliás alguém disse que… não lembro mais.

Em samba de 1980 regravado por Itamar Assumpção, Geraldo Filme dá um recado para o branco que gostava de maldizer o negro por tocar samba, jogar capoeira e falar de umbanda, mas hoje é o maior adepto de tais atividades: “Vai cuidar da sua vida/ diz o dito popular/ quem cuida da vida alheia/ da sua não pode cuidar”.

PARA CONTINUAR LENDO,
TORNE-SE UM ASSINANTE

Tenha acesso ilimitado e apoie o jornalismo independente de qualidade

VOCÊ PODE CANCELAR QUANDO QUISER
SEM DIFICULDADES

Já é assinante, entre aqui

Sofia Mariutti é poeta e tradutora. Trabalhou como editora na Companhia das Letras entre 2012 e 2016. Em 2017, lançou pela Patuá a reunião de poemas “A orca no avião”, seu primeiro livro. Mestranda em literatura alemã pela USP, trabalha em 2019 na tradução da biografia de Franz Kafka para a editora Todavia.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.