Ir direto ao conteúdo

Pa·la·vra

A palavra deu origem ao mundo, segundo o Evangelho de João. “No princípio era o verbo, e o verbo estava com Deus, e Deus era o verbo” (tradução de Frederico Lourenço). No livro de Gênesis, Deus disse “faça-se luz”, e a luz se fez, e Deus viu que era bom. Desde então, muitos verbos rolaram, e muitas coisas foram feitas com palavras, coisas boas e não tão boas assim. Promessas, feitiços, mentiras, poemas: são coisas que as palavras criam no mundo.

Quando, na peça de Shakespeare, Hamlet aparece em cena lendo um livro e lhe perguntam do que se trata, ele responde: “palavras, palavras, palavras”. Não estava mentindo. Estava apenas declarando um fato. E, com um fato em mãos, escapava de ter que dizer a verdade. A fronteira entre os fatos e as verdades é algo que as palavras, bem ou mal, podem distorcer.

A origem da palavra “palavra” é sugestiva. Veio do grego “parabolé”, “comparação” ou “aproximação", via latim “parabola”. Cada palavra é algo além do que ela diz ser, uma “parábola”: história com mensagens ocultas, onde as coisas são chamadas por nomes que não lhes pertencem.

“As palavras”, escreveu o sergipano João Ribeiro, têm “luz difusa e atmosfera”. “Nunca são precisas e exatas. Cercam-se ordinariamente de um halo que esfuma as linhas de contorno; sempre dizem algo mais do que parecem dizer.” Acrescento: algo a mais ou algo a menos.

Numa época de pós-verdade e fake news, palavras são ditas para que sentidos não sejam revelados. Somos pegos em sua luz difusa e ficamos atrás da fronteira dos fatos, com palavras, palavras, palavras.

Sofia Nestrovsky é mestre em teoria literária pela USP e colabora para revistas como Piauí, Quatro cinco um e Cult.

Os artigos publicados pelos colunistas são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam as ideias ou opiniões do Nexo.

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.

Já é assinante?

Entre aqui

Continue sua leitura

Para acessar este conteúdo, inscreva-se abaixo no Boletim Coronavírus, uma newsletter diária do Nexo: