Ir direto ao conteúdo

Você sabe o que significa esta expressão em latim?

Expressões no idioma do Império Romano aparecem em falas de políticos e magistrados. Confira se você sabe o que elas querem dizer

 

O declínio do latim como língua falada teve início com a queda do Império Romano do Ocidente, no fim do século 5 depois de Cristo. O que havia sido a língua franca do império evoluiria, na comunicação cotidiana, para novos dialetos e idiomas na região hoje conhecida como Itália e em outras áreas da Europa, como França, Espanha e Portugal.

Na Renascença italiana, que exaltou ideias e estética de Roma e da Grécia antigas, o latim era usado na literatura, filosofia, medicina e em documentos legais.

No século 20, em muitos países do Ocidente, o latim ainda era ensinado nas escolas. No Brasil, a disciplina sobreviveu até a década de 60, quando foi removido do currículo do ensino público.

Atualmente, o latim sobrevive no dia a dia por meio de expressões mantidas na forma original, como “habeas corpus”, “ad infinitum” e “et cetera”. No contexto profissional, ele é usado de forma mais ampla na Igreja Católica e no meio jurídico.

Os brasileiros que acompanham sessões do Supremo Tribunal Federal rotineiramente se defrontam com expressões em latim nas falas dos magistrados.

O latim foi a língua usada pelos romanos em seu código jurídico. Os conceitos, normas e princípios jurídicos contidos ali fundamentaram boa parte do direito ocidental moderno.

No entanto, há quem critique o uso dessas expressões como uma prática elitista e demonstração vazia de cultura. Abaixo, o Nexo desafia você neste quiz que traz expressões em latim usadas em declarações de figuras da política.

 

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!