Ir direto ao conteúdo

A história brasileira em correspondências: você sabe quem é o autor desta carta?

Ler hoje o que algumas das figuras mais importantes do país escreveram é como espiar o passado pelo buraco da fechadura

 

Trocar correspondências é, hoje, em tempos digitais de Whatsapp, Snapchat e Facebook, coisa do passado. Afora contas e boletos enviados por empresas, é cada vez mais rara a troca de cartas.

Reler missivas, então, em 2017 é um exercício de retorno à história. Como escreve o jornalista Sérgio Rodrigues, “a velha correspondência manuscrita ou datilografada conserva seu poder mágico de máquina do tempo. Poucas coisas são tão capazes de nos transportar inteiros, cabeça e coração, para outras eras, outros mundos e mentalidades”.

Esse trecho está na apresentação do livro “Cartas brasileiras”, lançado em dezembro de 2017 pela Companhia das Letras. No volume, Rodrigues reúne 80 correspondências de grandes nomes da história brasileira, desde políticos até figuras importantes da cultura popular, do século 19 ao 21. O material coletado vem de acervos pessoais, museus e bibliotecas públicas.

“É como se espiássemos a história pelo buraco da fechadura”, anota Rodrigues, ao comentar como as cartas, escritas em tom de intimidade e protegidas pelo sigilo da conversa privada (quando não se tratava de carta aberta), revelam o que nenhuma outra fonte documental é capaz de mostrar.

No teste abaixo, selecionamos trechos das cartas que estão no livro. Para cada pergunta, responda: qual o autor ou autora desta correspondência?

 

Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa Equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project. Saiba mais.

Mais recentes

Você ainda tem 2 conteúdos grátis neste mês.

Informação com clareza, equilíbrio e qualidade.
Apoie o jornalismo independente. Junte-se ao Nexo!