Endividamento no Brasil cresceu em 2021 e bateu recorde

Em dezembro de 2021, cerca de 3 em cada 4 famílias do Brasil reportaram possuir dívidas em algum nível. O valor é o mais alto já registrado em pesquisa que teve início em 2010

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    Em dezembro de 2021, o número de famílias que relataram estar endividadas atingiu 76,3%, segundo dados da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo). É o maior valor desde o início da pesquisa, em 2010.

    O número de famílias endividadas aumenta desde 2019. 76,3% das famílias estavam endividadas em dezembro de 2021. Fonte: Peic (Pesquisa de Endividamento e Inadimplência do Consumidor), da CNC (Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo).

    O índice de endividamento é calculado mensalmente pela CNC e vem aumentando desde antes da pandemia, quando a taxa de endividados oscilava em torno de 60%. O percentual teve uma aceleração mais forte em 2021, com a piora no cenário econômico e o aumento da inflação.

    A CNC sugere em seu relatório que os aumentos recentes na taxa básica de juros (taxa Selic) estão tornando o crédito e o financiamento menos atrativos, o que pode ter o efeito de desacelerar o crescimento do endividamento no Brasil.

    Continue no tema

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.