Inflação de setembro é a mais alta para o mês em 27 anos

Puxado pelo aumento dos combustíveis e da energia elétrica, o IPCA fecha em 1,16%. Acumulado nos últimos 12 meses ultrapassou os dois dígitos e é de 10,25%

O Nexo é um jornal independente sem publicidade financiado por assinaturas. A maior parte dos nossos conteúdos são exclusivos para assinantes. Aproveite para experimentar o jornal digital mais premiado do Brasil. Conheça nossos planos. Junte-se ao Nexo!

    O IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) divulgou nesta sexta (8) o valor oficial da inflação para o consumidor no Brasil no mês de setembro de 2021. O IPCA (Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo) fechou o mês em forte alta de 1,16%, puxada pelo encarecimento dos combustíveis e energia (5,79%).

    Gráfico de linha mostrando a Inflação acumulada em 12 meses e desde setembro de 1995 e Inflação mensal no mês de setembro no mesmo período

    O valor é o maior já registrado para o mês de setembro desde 1995 e o segundo maior na história do real, tendo sido superado apenas pela inflação de 27 anos atrás, em setembro de 1994 (de 1,53%), três meses após a adoção na nova moeda.

    No acumulado de 12 meses terminados em setembro, a variação do IPCA ultrapassou os dois dígitos, chegando a 10,25%. Desde que a inflação no Brasil foi estabilizada, após os primeiros anos do Plano Real, esta é a terceira vez em que a variação acumulada em doze meses supera os 10%. As outras duas ocasiões foram em 2002-2003, com o temor do mercado em relação à eleição de Lula, e em 2015-2016, durante a crise do 2º governo Dilma.

    Continue no tema:

    Todos os conteúdos publicados no Nexo têm assinatura de seus autores. Para saber mais sobre eles e o processo de edição dos conteúdos do jornal, consulte as páginas Nossa equipe e Padrões editoriais. Percebeu um erro no conteúdo? Entre em contato. O Nexo faz parte do Trust Project.